À distância de um clic

Ligamos a net e a primeira coisa que fazemos é abrir a página do facebook. É um vicio, mas até aqui tudo bem. O drama começa com o abuso daquele rectangulozinho azul, o tão famoso "GOSTO".
Usamos, hoje, excessivamente, este verbo. EXCESSIVAMENTE! E aos poucos, e isto é mesmo o pior, quase o desvalorizamos.
Desmintam-me se não for verdade... Se X tem uma relação complicada, nós gostamos. Se Y põe no estado que está com diarreia, nós gostamos. Se Z tira uma foto com roupa de há dois séculos atrás, mesmo que achemos isso ridiculo, nós gostamos. Oi? Actualmente, parece que se gosta de tudo!
Dramatismo ou não, o gostar foi extremamente vulgarizado e isto, sem dúvida, vai muito para além das redes sociais.
Poucas são as pessoas que aplicam, no momento certo, este verbo e tudo porque passaram a usá-lo a torto e a direito, a custo zero.
Aquilo que sentimos (ou, neste caso, dizemos sentir) faculta-nos a responsabilidade de sermos fiéis a esse mesmo sentimento. Mas, pelos vistos, tudo sai disparado, formado na garganta em vez de no coração.

Dito isto, só mais um facto a constatar: a M*RDA devia sair pelo cu, mas há pessoas que a expelem pela boca! Tenho dito.

Comentários

Alexandra disse…
nao imaginas o quanto concordo contigo -.- gosto de ti, no mais profundo sentido da palavra <3
Patrícia Amado disse…
tens toda a razão, obrigada! adorei o texto, só verdades :)
Rui Águas disse…
"Ler-me" é tão fácil quanto ler o texto de qualquer outra pessoa. Mas no fundo, o dificil é compreender o que quero dizer. E antes eu nao era assim. Sempre fui aberto, alegre e vivido. Na minha opinião, cada pessoa ama de maneira diferente. A muitas pessoas, nem faz diferença, mas a mim, não só mudou por completo a minha maneira de ser, como mudou também a minha maneira de pensar.
Secalhar foi o que se passou com o teu amigo