Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2012

WC, sweet WC

Imagem
A pior coisa que pode acontecer-nos quando estamos de visita em casa de alguém: dar-nos uma dor de barriga daquelas que temos de correr, que nem loucos, para a casa de banho. Como se isto não fosse suficientemente mau por si só, há sempre aquelas pessoas que têm, em casa (mais claramente na casa de banho), portas que não fecham em condições, não têm chave ou não trancam (e agora que penso nisso, a minha também não tranca). Todos nós já experimentámos o medo terrível de sermos apanhados de calças nos joelhos e com aquela típica cara de esforço anal. E pior é quando a porta fica muito longe da sanita deixando-nos completamente desprovidos de qualquer arma que possa ser útil para prevenir uma entrada relâmpago. Quando finalmente satisfazemos a nossa necessidade e estamos aliviados pela possibilidade de flagrante ser reduzida, olhamos para o lado e, ups, PAPEL HIGIÉNICO?! Pois é! Os deuses, lá no Olimpo, acham sempre que mais um embaraço nunca é demais, lá estamos nós de rabo nu no ar, em bu…

dorme.

Imagem
"Está fresco, mas não demasiado. Ouço os grilos, mas não incomodam. Tudo na medida certa..."

A noite já vai escura, hoje mais escura que as habituais noites de Verão Hoje as nuvens subiram ao trono e reinam (quase) implacáveis. Não é uma noite sorridente, daquelas que passamos sentados na rua à conversa com os amigos. Mas também não é uma noite tiritante,daquelas em que só estamos bem fechados, debaixo de cobertores bem quentes. Nem é uma noite comilona, daquelas em que o jantar de família (de preferência, com a família mesmo toda) se prolonga horas e horas e é seguido de um café no varandim e gargalhadas sonantes. É mais uma daquelas noites só minhas: o pano de fundo é o puff preto e a noite escura, os efeitos sonoros são harmoniosamente elaborados por cães e grilos que têm como convidado especial o longínquo ronronar do comboio e a personagem principal? Descalça, sempre descalça. Um dia, alguém me disse que quem escreve tem sempre uma história para contar e que, quando assim …

Para o meu TU

Imagem
Gosto de te ver ganhar asas e ir, apesar de, na verdade, preferir que as exercitasses por cá, no campo de treino das minhas, que é como quem diz: no meu ângulo de visão. Gosto de imaginar a agitação frenética no teu corpo e o brilho do teu olhar. Creio que ambos estejam muito presentes nesta altura de mudança e de novidade. Sei que há muito anseias isto e, por isso, recuso-me a pensar que não te vá fazer bem. Vou ter muitas saudades tuas e... vais ser sempre o Homem da Minha Vida. Ensinaste-me coisas que mais ninguém foi capaz e daí toda a gratidão que te tenho. És uma pessoa fantástica e isso enche-me de orgulho, um orgulho saboroso que me preenche a alma. Eu acho já esgotei todas as palavras que conheço para falar de ti, de tanto que contei, elogiei, defendi, eu sei lá. Só sei que és do melhor que tenho e não ouso falhar-te nunca. "Desculpa as lágrimas, mas é a emoção, já é a saudade (já é a saudade) no meu coração!". Vais fazer-me muita falta!

parecia sério.

Imagem
AMIGO: que palavra (aparentemente) tão simples, que palavra (claramente) tão complexa. Não que um amigo seja algo dúbio, dúbio é percebermos quem eles são, distinguirmo-los dos colegas, dos conhecidos, dos que só vão estando.
É estranho e deveras desconfortável perceber que podemos estar anos ao lado de alguém que nos tapa os olhos, que nos atira areia aos olhos, que finge (até para si próprio) ser aquilo que não é. E é por isto que as alturas de crise são tão boas, porque num aperto, não temos outra solução que não ser nós mesmos, sem virgulas, reticências ou interrogações; quando há problemas, mascararmo-nos é mais complicado, facilmente o disfarce cai e nos damos a conhecer. É triste (extremamente triste) que seja preciso fracturar um ramo para perceber o quão podre é a árvore e o quão corrompida foi pelos bichos. Bichos como a inveja, a maldade, a malvadez, a falta de carácter... E essa podridão passa a ser, para nós, o rosto do tal (ex-)amigo. Depois de o vermos desta forma, dificil…